Home Mensagens Fraternais LENDO CHICO XAVIER
Imprimir E-mail
Qua, 09 de Novembro de 2011 10:58

LENDO CHICO XAVIER - TEXTOS EXTRAÍDOS DO LIVRO "O EVANGELHO DE CHICO XAVIER", ORIGINADOS DE SUAS CONVERSAÇÕES COM O AUTOR CARLOS A. BACCELLI, EDITADO POR "CASA EDITORA ESPÍRITA PIERRE-PAUL DIDIER":

Precisamos tolerar mais um pouco, tolerar mais um tanto, compreender de algum modo mais um tanto e criar em torno de nós a simpatia de que precisamos para viver.

 

Façamos um campanha contra a violência, a começar de nós mesmos. Tenhamos mais paciência dentro de casa, no trânsito, no trato com os familiares... Uma palavra pronunciada em tom um pouco mais alto desencadeia vibrações que se propagam... Conversemos sem alterar a voz. Não aposentemos o sorriso... Vivamos descontraídos, apreciando a beleza em torno de nós. Os homens se armam, porque os espíritos dos homens andam armados... Ninguém pode nos fazer uma contrariedade, que queremos partir para o revide.

 

Emmanuel me falou, certa vez: - Chico, se alguém se aproximar de você dizendo que vai capinar o mundo, você não deve questionar... Dê a ele uma enxada!... De fato, não podemos tirar o entusiasmo de ninguém. A crítica dos opositores de nossa fé não nos dói tanto quanto a crítica dos nossos irmãos de ideal... Vamos incentivar os jovens. Não somos dono do Movimento; a casa espírita não tem donos... Vamos criar oportunidades para o crescimento dos outros. Ninguém presisa anular ninguém... Sobra espaço para as estrelas no firmamento! Todas podem brilhar à vontade...

 

Devemos aceitar a chegada da chamada morte, assim como o dia aceita a chegada da noite - tendo confiança que, em breve, de novo há de raiar o Sol...

 

Tudo tem o seu apogeu e o seu declínio... É natural que seja assim; todavia, quando tudo parece convergir  para o que supomos o nada, eis que a vida ressurge, triunfante e bela!... Novas folhas, novas flores, na indefinida bênção do recomeço!

 

O mal está em nós mesmos, em nossas tentações, tentações que nascem de nós. Ninguém nos tenta: nós é que somos tentados por nós mesmos...

 

O centro espírita deve ser tocado como uma escola, ou seja, devemos estar dentro dele para aprender... Não é só para a mediunidade, para o passe ou para a desobsessão... Precisamos estudar as lições de Jesus, nas interpretações de Allan Kardec, e vivenciá-las, cuidando de nós mesmos, de nossa necessária renovação íntima... Espiritismo não é fé cega, não é fanatismo. Precisamos dialogar, trocar idéias... Nada de polêmicas em torno deste ou daquele texto. O que é essencial no Evangelho está mais do que claro!

 

No Mundo Espiritual, muita gente vai se surpreender.. Lá, não seremos identificados pela importância, ou melhor, pela nossa suposta importância no mundo... Os espíritos nem ligam para a gente; estão ocupados, cuidando da sua própria evolução... Se pudermos acompanhá-los... Caso contrário, vamos nos sentir profundamente decepcionados. Gente há que desencarna imaginando que as portas do Mundo Espiritual irão se lhes escancarar... Ledo engano! Ninguém quer saber o que fomos, o que possuíamos, que cargo ocupávamos no mundo. O que conta é a luz que cada um já tenha conseguido fazer brilhar em si mesmo. Esse negócio de ter sido fulano de tal interessa à consciência de quem foi e, na maioria das vezes, se complicou... Os espíritos são indiferentes a essas coisas, quase frios aos rótulos que supervalorizamos e ao convencionalismo - coisas que nos fazem supor o que não somos...

 

 

 

 

 


 

Publicidades

Parceiros:
Banner

Galeria de Imagens

Cadastrar E-Mail


Nome:

Email:

Publicidades

Banner
Banner

Pesquisar no blog